21 de novembro de 2007

STRESS

Atualmente, recebo muitas pessoas em meu consultório se queixando de stress.
Mas o que é exatamente o stress?
“Stress é uma palavra bem antiga em inglês, que veio adquirindo ao longo do tempo diversas acepções, cuja datação histórica encontra-se detalhada no Oxford English Dictionary. O dicionário dá a palavra stress como forma derivada por aférese (perda de letra ou sílaba inicial) de distress, admitindo ainda a filiação ao francês antigo estresse (estreitamento, aperto), oriundo este do latim strictus, particípio passado do verbo stringo, ere, estreitar, apertar, comprimir, através do latim vulgar strictia.
Em 1936 Hans Selye, médico e pesquisador austríaco que trabalhava em Montreal, no Canadá, empregou pela primeira vez como termo médico, a palavra inglesa stress para caracterizar qualquer agente ou estímulo, nocivo ou benéfico, capaz de desencadear no organismo mecanismos neuroendócrinos de adaptação.”
E por que sentimos stress?
O mecanismo orgânico gerado pelo stress era muito útil para nossos ancestrais quando estes se encontravam frente a uma onça, por exemplo. Pois desta forma eles estariam prontos para lutar ou fugir do perigo iminente.
Porém hoje em dia, a onça que acionava o stress no organismo do nosso amigo ancestral mudou de roupagem e agora se apresenta como: contas a pagar, prazos cada vez mais curtos, trânsitos caóticos, violência urbana, trabalho aos fins de semana e tantas outras questões vividas diariamente.
No momento em que vivemos tantas necessidades urgentes, o stress se faz presente, e nosso organismo é ativado cada vez que reconhece nestas exigências uma ameaça.
Seria tudo muito simples.
Temos uma exigência, nosso organismo a reconhece, nos prepara para lutar ou fugir, seguimos em uma das direções e pronto, acabou o problema.
Porém, não é bem assim.
A energia liberada pelo stress não encontra mais alvo. Ela é desencadeada em situações que não trazem ameaças reais a sobrevivência, logo, ela se volta para aquele que deveria ajudar, prejudicando o sistema de equilíbrio dinâmico do organismo.
O stress é considerado pela Organização Mundial de Saúde uma das maiores ameaças à saúde do século XXI.
E depois de saber disso tudo, o que fazer?
É preciso direcionar o olhar para si, e observar os pilares sobre os quais a vida se baseia: nossa existência física, a família, os amigos, o lazer, as crenças religiosas... Nesses campos, e em tantos outros que se possa pensar, temos a possibilidade de resgatar vivências que agem positivamente em nosso existir, compensando os momentos tumultuados da rotina e devolvendo o sabor da vida.
Mas não pense em eliminar definitivamente o stress da sua vida. Além de ser impossível, o stress faz parte da vida e também se apresenta de forma positiva, sendo chamado de eustress.
O bom stress (eustress) possibilita reações a ameaças reais, a mudanças, bem como o estímulo a ação em situações que exigem resistência ou adaptação.
Dessa forma, podemos verificar que observar como se lida com as atribulações do dia a dia se faz necessário para não cair na armadilha do stress nocivo, citado na linguagem comum como sinônimo de cansaço, fadiga e preocupação.

5 comentários:

Dilma disse...

Olá!
Adorei seu blog Katiane. Parabéns!
Muito pertinente e esclarecedor.
Estou montando um site. Depois te mando o endereço.
Sucesso. Sempre!!!
Beijos,
Dilma.

brunacabralvp disse...

Oi! Gostei na iniciativa, hein!
é sempre bom ver as colegas de profissão se animando e escrevendo...Pode deixar que vou "te visitar" sempre! se quiser, dê uma olhada tb no meu site:www.espacorecomecar.psc.br
Lá há vrs textos tb!
beijos e parabéns!
Bruna.

Irene disse...

Parabéns pela iniciativa. Gostei muito. Sucesso!
beijos,
Irene

Maria Rosa disse...

UAU! Que chique!!!!! Adorei seu blog! Espero que dê bons resultados! Mil beijos.

Ágata disse...

Oi,Kate!Muito legal o blog.Vou mandar uns textos pra vc dar uma olhadinha.Bjs